"As vezes ouço passar o vento, e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido”
(Fernando Pessoa)

15 de novembro de 2011

Pedal de 06/11 - Morro do Ferro a São Tiago

Praça da Matriz em São Tiago/MG

Domingo, 06 de novembro, saí de meu esconderijo em Morro do Ferro (o local exato eu não posto aqui, hehehe!!!) em direção a cidade de São Tiago por estrada de terra. Como não conhecia todo o percurso, mais uma vez recorri a “São Google Earth”, baixei o trajeto no GPS, pois ficar perdido não é minha praia.

Os dois principais cursos d’água no meu caminho são o Ribeirão da Lavrinha e Ribeirão do Tatu, ambos em vale encaixado, traduzindo: muita descida até chegar neles e obviamente muita subida depois.

Outo obstáculo no meu caminho é a Serra do Tatu, onde no trajeto planejado atinge mais de 1.200 m de altitude.

Saí 08:00 horas, pedal para frente e rumo ao destino, passando pela localidade da Légua e  Lavrinha. Após o Ribeirão da Lavrinha virei a direita em direção ao Povoado do Tatu. Um sobe e desce danado até chegar ao Ribeirão do Tatu a aproximadamente 800 m de altitude.

A partir daí tem início a subida da tal Serra do Tatu. São 3 km de subida até atingir 1.210 m de altitude, com certeza o maior desafio do percurso. A seguir vem um trecho tranquilo, quase plano passando pela bifurcação que vai para o Ouro Fino, Jacarandira, Içara e outras localidades, chegando a estrada de terra que liga São Tiago a Resende Costa, próximo ao Clube Campestre.

Esta estrada é larga, tem um traçado supostamente planejado, porém péssima para bike. É toda intercalada por imprevisíveis ondulações, costelas, pedra solta, cascalho fino e solto (quase areia), muito trânsito de veículos e outras armadilhas para bikers.

Chegando em São Tiago, uma breve pausa para fotos na Praça da Matriz. Já retornando, reabasteci de água no Restaurante no posto de combustíveis ao lado do trevo da BR 494 e pedal para frente que o sol tava quente.

Na volta, quando cheguei no alto da Serra do Tatu e olhei o Ribeirão lááááá embaixo, não acreditei que tinha subido aquilo tudo e até fiquei com medo da descida. Cheguei lá embaixo com os dedos das mãos até dormentes de tanto segurar a bike (É nestas horas que sentimos falta de um Disc Hidráulico, quem sabe meu próximo investimento...).

As 13 horas estava eu de volta, após 45 km de pedal um pouco cansado é claro, com muita fome e um joelho ralado no tombo que já relatei no Post anterior, porém feliz pelo objetivo alcançado.

Ribeirão da Lavrinha

Placa indicativa dos Povoados de Ouro Fino e Tatu

Ponte sobre o Ribeirão Tatu

Praia de vacas na margem do Rib. Tatu

Ribeirão Tatu

Ponte sobre o Rib. Tatu

Eu próximo ao Rib. Tatu

Vista do alto da Serra do Tatu

Bifurcação

Bifurcação próxima ao Clube Campestre

Praça da Matriz em São Tiago/MG

Praça no Centro de São Tiago/MG

2 comentários:

  1. Bem legal... eu vou em São Tiago direto, vou ver se faço o inverso, São Tiago/Morro do Ferro. Bom que é um pedal relativamente curto, o ruim é que não conheço nada das estradas de terra.

    ResponderExcluir
  2. Em tempo, sabe se tem algum grupo de pedal em São Tiago ou até mesmo em Morro do Ferro?

    ResponderExcluir