"As vezes ouço passar o vento, e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido”
(Fernando Pessoa)

19 de julho de 2011

DOIS ANIMAIS E DOIS DESTINOS - I


Voltando de minhas andanças, afinal é mês de julho e estou de férias, resolvei escrever estes Posts sobre o destino de dois animais que encontrei pelos caminhos onde andei. Afinal o respeito e a admiração pelo mundo dos animais ditos irracionais devm fazer parte de nossas vidas.

Então vamos ao primeiro “bicho”:

Estava eu pedalando de Morro do Ferro em direção ao Povoado do Ouro Fino, quando na região do Valinho resolvi mudar de rota e ir em direção a cidade de Passa Tempo visitar uma cachoeira situada na beira da estrada.

Para tanto, costumo virar a esquerda em direção a Serra da Manteiga e Serra da Bandeira , atravessando dentro de uma voçoroca já estabilizada e recoberta com bastante vegetação. É um local estreito e perigoso, se pender para qualquer um dos lados, já era. Mas passando por este local economizam-se boas pedaladas por uma subida íngreme e longa, portanto por lá fui eu.

Quando estava terminando de atravessar a voçoroca ouvi a direita um barulho no meio da vegetação, no fundo do buraco. Cheguei um pouco mais na beirada quando lá avistei uma vaca. Havia escorregado e caído ali e sem a ajuda do bicho homem morreria de fome e sede, ou seria devorada ainda viva por urubus que já estavam a espera do “banquete”. Era apenas uma questão de tempo.

O que mais me impressionou foi a expressão do animal quando me viu. Dava para ver em seus olhos uma mistura de alegria e desespero. Alegria, pois finalmente foi descoberta e haveria chances de ser resgatada e desespero por estar naquele local com fome e sede, só esperando a morte chegar.

Imediatamente liguei para meu pai (tá vendo a utilidade de um celular em uma trilha?) que prontamente ligou para o proprietário do animal. Este informou que havia dado falta do animal, procurando-o mas não o encontrou e que no outro dia iria ao local fazer o “resgate”, pois naquele dia já estava muito tarde.

No outro dia o proprietário do animal me ligou pedindo maiores informações sobre a localização (afinal é um local de difícil acesso e só um louco como eu para passar ali). Mais tarde voltou a me ligar agradecendo e dizendo que o animal estava bem, ou seja, um final feliz!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário