"As vezes ouço passar o vento, e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido”
(Fernando Pessoa)

24 de maio de 2011

Lobeira versus pneus da Bike


De início fica difícil entender a relação da Lobeira ou Fruta de Lobo com os pneus da Bike, portanto passamos a explicar melhor.

A Lobeira ou Fruta de Lobo é uma planta de porte arbóreo cuja espécie mais comum é a Solanum lycocarpum. Seu tronco, galhos e folhas são repletos de espinhos, ou melhor dizendo, de acúleos (adaptações pontiagudas da casca).

É uma planta bastante comum no cerrado mineiro, espalhada facilmente por animais que alimentam de seus frutos, dentre eles bovinos e o Lobo Guará, daí o nome de Lobeira ou Fruta de Lobo.

Suas folhas secam constantemente e caem no chão, ou melhor na trilha, ficando as estruturas pontiagudas muito resistentes a espera dos pneus da Bike. O resultado é óbvio: pneu furado.

Nos estradões é menos comum acontecer a fatalidade. Mas em trilhas que passam por locais com grande ocorrência da planta, o resultado é certo: pneu furado e lá está o maldito espinho de Lobeira fincado no pneu.

Em Florestal, Mateus Leme e Igarapé, onde costumo pedalar em estradões não é muito comum os furos de pneus causados pela Lobeira. Mas em Morro do Ferro e vizinhanças (Passa Tempo, Jacarandira e São Tiago) a ocorrência da planta é imensa e quando se pedala em trilhas que cortam locais com vegetação nativa (e lá está a Lobeira), os pneus furados são uma constante, e lá está o espinho da Lobeira fincado no pneu.

Não dá para ficar desviando de folhas de Lobeira, uma ou outra até vai. A única solução é levar câmara de ar reserva e Kit Remendo e contar com muita sorte e boa pedalada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário