"As vezes ouço passar o vento, e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido”
(Fernando Pessoa)

23 de setembro de 2010

VALORAÇÃO AMBIENTAL

Descrição: Um bem ou recurso é classificado como econômico quando acumula as peculiaridades de ser útil e escasso.

Um bem ou recurso é classificado como econômico quando acumula as peculiaridades de ser útil e escasso. Adquiridas essas propriedades – utilidade e escassez -, os recursos necessários ao bem estar das pessoas passam a ter valor econômico e, como conseqüência, adentram mercados até então não vislumbrados.

Os recursos naturais ditos renováveis – água, ar, solo, fauna e flora, por exemplo - sempre foram vistos como bens úteis por proporcionarem satisfações aos seres humanos. No entanto, nem sempre lhes foi atribuída a característica da escassez, retirando-lhes o direito de serem vistos como bens econômicos. Diante da degradação por que passa o ambiente, essa característica foi então vista como também inerente a esses recursos e, então, surgiu várias metodologias para acrescentar-lhes o valor monetário.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), após consulta pública e análises diversas, optou por estabelecer como norma técnica a metodologia denominada Valor Econômico do Recurso Ambiental (VERA), baseada no valor de uso e de não uso do recurso ambiental. Esse estudo resultou na NBR 14653–6 para a avaliação de recursos naturais e ambientais. Esta norma entrou em vigor a partir de 30/06/2008, fixando as diretrizes para a valoração desses recursos.

A PLANETAGEO, visando dar credibilidade à execução de seus serviços, valora os recursos naturais e ambientais utilizando essa norma.

Publicado em 23/08/2010
Fonte: PLANETAGEO






Nenhum comentário:

Postar um comentário